GASTRONOMIA DE PORTUGAL

O INCRÍVEL AZEITE PORTUGUÊS



É um dos alimentos mais consumidos na dieta dos Portugueses – conhecida como dieta mediterrânea – muito utilizado como base para refogados, pratos tradicionais com o icônico bacalhau ao forno, como condimento em sopas de legumes, além de frituras e muitas outras versões. Sua utilização também pode ser vista na doçaria conventual, como na deliciosa Torta de Azeite e no lugar do óleo em determinadas receitas de bolos.

O antes coadjuvante do bacalhau, já alçou há muito tempo o lugar de protagonista, devido à sua qualidade, importância gastronômica e terroir. Tal como os vinhos, os azeites possuem especialistas e consultores de produtoras espalhada por diversas regiões de Portugal. Como as uvas têm suas singularidades, as azeitonas também possuem diferentes tipos, como a madural do Norte, a maçanilha do Algarve ou a galega do Alentejo. Ao longo do ano, ocorrem diversos concursos para premiação dos melhores azeites de cada região. O tipo do azeite está diretamente ligado ao tipo do fruto e modalidade de colheita.

O Turismo do azeite, conhecido como “Olivoturismo”, ganha mais adeptos a cada dia, levando que estiver de passagem pelo país, à regiões de fazendas produtoras – especialmente na região do Alentejo. O país que está dentre os dez maiores produtores de azeite do mundo inteiro, angaria uma legião de interessados dos diferentes aromas, texturas e nuances, que podem variar até mesmo dentre azeitonas colhidas na mesma propriedade.

O Alentejo não fica tão distante de Lisboa, sendo possível uma pequena esticada para conhecer mais de perto esse mundo. É curioso que muitas propriedades na área são produtoras tanto de vinhos quanto de azeites, transformando o passeio em uma viagem cultural rumo aos maiores patrimônios e iguarias lusitanas. Boas regiões produtoras onde é possível a solicitação de visitação são a Courela do Zambujeiro, Herdade do Esporão e Herdade dos Coteis. Os principais tipos de azeitonas advindos da região são a verdeal alentejana, galega, cobrançosa e cordovil de serpa.

Dentre alguns dos principais tipos de azeites portugueses, encontra-se o Azeite de Trás-os-Montes DOP, um azeite virgem extra e azeite virgem produzido a partir de variedades das azeitonas madural, verdeal transmontana, cordovil e cobrançosa. Sua colheita é realizada quando o fruto estiver em um determinado estado de maturação em que a coloração da epiderme estiver negra, tendo sua polpa entre as nuances de verde a violeta. Os tipos de processo são mecânicos ou manuais. Depois de conduzidas até o lagar, elas são lavadas e posteriormente armazenadas nas tulhas. Sua moenda é feita de forma que o volume não dificulte a separação do azeite. A massa já tendo sido moída, passa por um processo de alternância de temperatura para chegar a 30-32 °C, por aproximadamente 1h. Sua produção é estabelecida na região Transmontana, especialmente nos concelhos de Vila Flor, Alfândega da Fé, Mirandela e Valpaços, dentre outros das cercanias.  É importante observar que seu consumo remota à antiguidade, com os primeiros registros de plantações na região sendo datados do século XVI.

Outro tipo de azeite em grande destaque é o Azeite do Alentejo Interior DOP, produzido através do sistema mecânico com os tipos de azeitonas cordovil, de serpa, cobrançosa, e galega vulgar, em sua maioria. A extração é obtida com a prensagem ou centrifugação. Posteriormente à moagem, o volume obtido é passado à uma temperatura máxima de 30 ºC. Ocorrendo sua separação, é armazenado cem temperatura controlada. Sua produção ocorre nos concelhos de Alvito, Viana do Castelo, Ferreira do Alentejo e Portel, dentre outros das cercanias. Sua produção remonta época anterior à romana e visigoda.


BANNERRESTAURANTE.png


Deixe uma resposta