PORTUGAL

INVESTIMENTOS EM PORTUGAL



QUADRADO.png  SAIBA MAIS SOBRE COMO INVESTIR NO PAÍS

Quando o assunto é investimento em Portugal, muitos empresários ficam na dúvida de qual modelo de negócio vale a pena e em quais regiões do país. Portugal é um país pequeno, com apenas 10,3 milhões de habitantes, por isso, é extremamente importante pesquisar bem o mercado e conhecer onde estão concentrados os maiores fluxos de pessoas – tanto de moradores quanto turistas. A pesquisa de mercado é fundamental para a abertura de um negócio, tanto no Brasil, quanto no exterior. Ela pode te ajudar a saber quais serão seus concorrentes, quanto de dinheiro será necessário investir, quais os melhores lugares para montar o negócio, quais as oportunidades, ameaças, forças e fraquezas, além de definir quais serão suas metas a curto, médio e longo prazo. Portugal tem uma localização privilegiada para aceder a mercados relevantes.


QUADRADO.png  MELHORES CIDADES

As melhores cidades para investir em Portugal são nos maiores centros: na capital do país Lisboa e na segunda maior cidade Porto, no norte do país. Para negócios de temporada de verão, a região do Algarve, no sul do país, é a mais indicada, ela possui belas praias e muitas opções de turismo. Durante os meses de Verão europeu (julho, agosto e setembro) ela recebe milhares de turistas que enchem os hotéis e restaurantes da região.


QUADRADO.png  SETORES PARA INVESTIMENTOS

As melhores áreas para investir em Portugal atualmente são ligadas ao turismo e restauração. Hotéis, restaurantes, cafés, bares, pubs, transportes e setores ligados para o recebimento de turistas, em áreas centrais e turísticas do país estão em alta. Entretanto, é importante conhecer o mercado, fazer pesquisas, visitar os bairros e se inteirar sobre o histórico do local em que se pretende investir.

Gastronomias muito diferentes e diversificadas podem ter uma aceitação mais difícil, já redes e franquias consagradas podem dar um retorno mais rápido. Tudo depende de quanto você pretende investir no país e quanto dinheiro terá para fazer uma boa divulgação do negócio. Lembre-se que em um país pequeno, o lucro será menor e o retorno de investimento pode levar mais tempo. Esteja preparado para isso.


QUADRADO.png  MERCADO IMOBILIÁRIO

Por outro lado, preços bastante atrativos fazem do imobiliário em Portugal um setor competitivo e confiável. O imobiliário português registou, ao longo dos últimos 20 anos, um grande desenvolvimento, quer pela qualidade construtiva que é cada vez mais sustentável, quer pela evolução do poder de compra. Mas, ainda assim, o imobiliário português não registou um crescimento exagerado, como aconteceu noutros países da Europa. Em Portugal, até finais de 2013, o número de novas construções manteve-se a par das respetivas vendas. Nos últimos dois anos, verificou-se uma retoma da procura que, além de assegurar o escoamento do stock existente, tem feito subir o índice de preços para valores mais próximos dos praticados em 2010. O imobiliário português é, assim, um porto seguro para o investimento interno e externo e todos os dados apresentados contrariam a existência, em Portugal, de uma bolha imobiliária. Só por si, este facto é prova de que existem condições competitivas para o investimento no setor.


QUADRADO.png  AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO

Novas disposições legais abrem a possibilidade aos investidores estrangeiros para requisição de uma Autorização de Residência para Atividade de Investimento, a quem tiver entrada regular em território nacional – portadores de vistos Schengen válidos ou beneficiários de isenção de vistos – mediante a realização de transferências de capitais, criação de emprego ou compra de imóveis.

Os titulares de Autorização de Residência para Atividade de Investimento têm direito a:
  • Entrar em Portugal com dispensa de visto de residência;
  • Residir e trabalhar em Portugal, devendo, no mínimo, permanecer em Portugal por um período não inferir a 7 dias no primeiro ano e não inferior a 14 dias nos anos subsequentes;
  • Circular pelo espaço Schengen, sem necessidade de visto;
  • Beneficiar de reagrupamento familiar;
  • Solicitar a concessão de Autorização de Residência Permanente nos termos da Lei de Estrangeiros;
  • Possibilidade de solicitar a aquisição da nacionalidade portuguesa, por naturalização, cumprindo os demais requisitos exigidos na Lei da Nacionalidade

Este regime não é aplicável a cidadãos que possuam a nacionalidade portuguesa e a cidadãos nacionais da U.E. e do Espaço Económico Europeu.

Os indivíduos que podem requerer a Autorização de Residência para Atividade de Investimento são os cidadãos nacionais de Estados terceiros que exerçam uma atividade de investimento, pessoalmente ou através de uma sociedade, que conduza, em regra, à concretização de, pelo menos, uma das seguintes situações em território nacional por um período mínimo de cinco anos:
  • Aquisição de bens imóveis de valor igual ou superior a 500 mil euros
  • Transferência de capitais no montante igual ou superior a 1 milhão de euros; (incluindo investimento em ações ou quotas de sociedades)
  • Criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho;
  • Transferência de capitais no montante igual ou superior a 250 mil euros aplicado no apoio à produção artística, recuperação ou manutenção do património cultural;
  • Transferência de capitais no montante igual ou superior a 350 mil euros aplicado em atividades de investigação científica e tecnológica;
  • Aquisição de bens imoveis no montante global igual ou superior a 350 mil euros; (em área de reabilitação urbana, ou de imóveis edificados há mais de 30 anos e realização de obras de reabilitação dos bens imóveis adquiridos)
  • Transferência de capitais no montante igual ou superior a 500 mil euros, destinados à aquisição de unidades de participação em fundos de investimento ou de capital de risco vocacionados para a capitalização de pequenas e médias empresas que, para esse efeito, apresentem o respetivo plano de capitalização e o mesmo se demonstre viável.
Para investimento por via da aquisição de bens imóveis de valor igual ou superior a 500 mil euros, o valor deste investimento pode ser reduzido em 20% (400 mil Euros) quando seja efetuado em território de baixa densidade. Este tipo de investimento pode ser realizado individualmente ou através de sociedade unipessoal por quotas de que o Requerente seja o sócio. Para este tipo de investimento, o Investidor terá que demonstrar que tem a propriedade dos bens imóveis (ou estando impossibilitado, através de contrato-promessa de compra e venda, com sinal igual ou superior a 500 mil euros), podendo fazê-lo da seguinte forma:
  • Adquiri-los em regime de compropriedade, desde que o Requerente ARI invista valor igual ou superior a 500 mil euros;
  • Adquiri-los através de sociedade unipessoal por quotas de que seja o sócio;
  • Onerá-los, na parte que exceder o montante de 500 mil euros;
  • Dá-los de arrendamento ou para exploração para fins comerciais, agrícolas ou turísticos.

QUADRADO.png  GAID – Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora

O Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora é uma “plataforma orgânica” renovada, vocacionada para identificar, apoiar e facilitar o micro e pequeno investimento com origem nas Comunidades Portuguesas e Luso-descendentes dirigido a Portugal, acompanhar projetos em curso ou em perspetiva e estimular e orientar as iniciativas de internacionalização de empresas de base regional, da referida dimensão. O site é https://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/gabinete-de-apoio-ao-investidor-da-diaspora-gaid .


QUADRADO.png  A TOP CHECK-IN® RECOMENDA PORTUGAL

 


FONTE: http://www.livinginportugal.com/pt/mude-para-portugal/autorizacao-de-residencia-para-atividade-de-investimento/


*OS VALORES, PRODUTOS, SERVIÇOS DESTE ESTABELECIMENTO ESTÃO SUJEITAS A MUDANÇAS. TODAS AS INFORMAÇÕES PRESENTES SÃO PUBLICADAS DE BOA FÉ CONFORME FORNECIDO PELOS PROVEDORES OU VERIFICADO PESSOALMENTE POR MEMBROS DE NOSSA EQUIPE. RECOMENDAMOS VERIFICAR DIRETAMENTE COM O ESTABELECIMENTO QUALQUER INFORMAÇÃO QUE SE FAÇA NECESSÁRIA ANTES DE SUA IDA AO LOCAL.

BANNERRESTAURANTE.png


Categorias:PORTUGAL

Deixe uma resposta