TURISMO GASTRONÔMICO

AS SIGLAS DE CERTIFICAÇÃO DOS QUEIJOS: DOP, DOC, IGP E STG


cabqueijos.png


QUADRADO.png   E X P L O R E   O S   M E L H O R E S   S A B O R E S

Na Itália, existem entidades que certificam a qualidade do queijo, sua origem e o modo de produção dos produtos locais.


QUADRADO.png   D. O. P. –  D E N O M I N A Z I O N E   D I   O R I G I N E   P R O T E T T A

A sigla DOP significa Denominação de Origem Protegida. Quer dizer que o queijo recebe o nome da região e lugar onde foi produzido e que as características do queijo dependem daquela determinada região.

O selo de denominação de origem protegida vem atribuído somente por lei aos alimentos de características peculiares que dependem essencial ou exclusivamente do território onde são produzidos.

O ambiente geográfica compreende tanto os fatores naturais, como o clima e as características ambientais, quanto os fatores humanos, como a técnica implantada, que ao serem combinados permitem a geração de um produto único. O seguimento das normas que garantem a produção de um alimento D.O.P é feito por um organismo de controle específico.

As denominações de origem protegida são indicações geográficas definidas na legislação da União Europeia para proteger nomes das cozinhas regionais. A lei, que vem sendo paulatinamente expandida para outros países da UE e não UE, devido aos acordos bilaterais, certifica que apenas os produtos genuinamente originados em determinada região podem ser por eles comercializados e assim denominados. Essa lei protege os nomes de vinhos, queijos, presuntos, embutidos, azeites, cervejas, pães regionais, frutas e vegetais. Na sua essência, a denominação de origem protegida consiste na utilização do nome de uma região ou localidade, ou em casos excepcionais de um país, para designar um produto dela originário, cujas características são devidas ao meio geográfico específico, aí se compreendendo os fatores naturais e humanos. O uso de uma tal denominação confere aos seus detentores um direito específico de propriedade industrial, sobrepondo-se e eliminando qualquer marca que utilize ou evoque a mesma designação.


QUADRADO.png   D.O.C. – Denominazione di Origine Controllata

A sigla D.O.C. é, simplesmente, o equivalente italiano da sigla francesa A.O.C., onde a palavra francesa appellation foi substituída pela palavra italiana correta de denominazione. Temos, então, produtos D.O.C., ou seja, Denominazione di Origine Controllata.


QUADRADO.png   I. G. P. – I N D I C A Z I O N E   G E O G R A F I C A   P R O T T E T A

A sigla IGP significa Indicação Geográfica Protegida. Significa que a origem , elaboração e transformação de uma matéria prima foi feita em uma determinada região respeitando características e métodos de produção daquela zona.

O selo de indicação geográfica protegida é garantido para produtos agrícolas e alimentares de uma determinada qualidade, reputação ou outra característica que depende da origem geográfica e cuja produção, transformação ou elaboração acontece em uma área específica.

Para obter esse selo, pelo menos, uma das fases do processo produtivo deve acontecer em uma área específica. Além disso, deve-se atender a regras rígidas na disciplina de produção e tudo isso é garantido por um órgão de controle específico.

Visivelmente, a diferença entre um produto D.O.P e um I.G.P. é feita pelas cores do selo que são amarelo e vermelho, e amarelo e azul, respectivamente, para que as pessoas não se confundissem.

Na lista de ambos, D.O.P e I.G.P., entram vinhos, vinagres, carnes, queijos, azeite de oliva, peixes, verduras, pães, entre outros.


QUADRADO.png   S. T. G. – S P E C I A L I T À   T R A D I Z I O N A L E   G A R A N T I T A

A Sigla STG significa Especialidade Tradicional Garantida. Não é ligado à origem do produto mas somente ao método de produção. Se respeita o método tradicional de uma determinada região. Para receber essa certificação a empresa tem que ter 25 anos de produção.

Esse termo de especialidade tradicional garantida foi inserido pela União Europeia, e visa tutelar produções que são caracterizadas por métodos de produção tradicionais. Ela é voltada para produtos agrícolas e alimentares que tenham uma “especificidade” ligada ao método de produção ou à composição ligada à tradição de uma zona, mas os produtos não necessariamente são produzidos somente em tal zona.


QUADRADO.png   A S   R E  G I Õ E S   I T A L I A N A S   E   S E  U S   R E S P E C T I V  O S   Q U E I J O  S   C E R T I F I C  A D O S 

  • Piemonte: Castelmagno DOP, Bra DOP, Raschera DOP, Toma Piemontese DOP, Murazzano DOP e Seirras del Fen.
  • Valle D’Aosta: Fontina DOP
  • Lombardia: Gorgonzola DOP (versão doce e picante), Bitto DOP, Valtellina Casera DOP, Bagoss, Formai de Mut DOP, Branzi, Strachinno, Taleggio DOP.
  • Vêneto: Monte Veronese DOP, Piave DOP, Asiago DOP, Taleggio DOP
  • Trentino Alto Adige: Stilfser – Stelvino DOP, Spressa delle Giudicarie DOP, Vezzena
  • Friuli Venezia Giulia: Montasio DOP
  • Emilia Romagna: Grana Padano DOP, Parmigiano Reggiano DOP, Formaggio di Fossa di Sogliano DOP.
  • Toscana: Pecorino Toscano DOP, Pecorino di Pienza, Marzolino
  • Marche: Pecorino dei Monti Sibillini, Pecorino di Farindola
  • Umbria: Pecorino di Norcia
  • Abruzzo: Canestrato di Castel di Monte
  • Calabria: Pecorino di Monte Poro
  • Campania: Mozzarella di Bufala Campana DOP, Pecorino do Carmasciano
  • Basilicata: Pecorino di Filiano DOP, Canestrato di Moliterno IGP
  • Puglia: Caciocavallo Podolico
  • Molise: Caciocavallo Molisano
  • Sicilia: Vastedda del Belice DOP, Ragusano DOP, Pecorino Siciliano DOP, Piacentinu Ennese DOP
  • Sardegna: Pecorino Sardo Maduro DOP, Fiori Sardo DOP, Pecorino Romano DOP.
  • Lazio: Pecorino Romano DOP, Burrell, Amatriciano, Ricotta Romana, Cacio Magno, Cacioricotta di bufala, Cacioricotta fresca.

NOVOBANNERGRANDETORNESEUMPARCEIRO.png


 

Categories: TURISMO GASTRONÔMICO

Deixe uma resposta